sexta-feira, 17 de maio de 2013

Acabei de ver...


...O ESCORPIÃO ESCARLATE - UMA AVENTURA DO ANJO, filme do diretor Ivan Cardoso, um dos mestres do subgênero "terrir", e que nos presenteou com algumas pérolas, como AS SETE VAMPIRAS e O SEGREDO DA MÚMIA. E por estas deliciosas baboseiras, Ivan se tornou cult entre os cinéfilos brazucas. E este é, na minha opinião, o melhor filme dele. A história é envolvente e nos deixa o tempo todo curiosos. Trata-se de uma homenagem aos áureos tempos das novelas de rádio, onde as aventuras do Anjo parava toda a cidade do Rio de Janeiro para acompanhar sua luta contra o crime, neste caso, mais especificamente contra o vilão Escorpião Escarlate, que insistia em querer eliminar a inconveniente jornalista Dóris. Através da imaginação da estilista de moda, Glória (a ótima Andréa Beltrão), podemos, além de ouvir o rádio, visualizar toda a trama da novela radiofônica em um bem encaixado preto & branco. E é aí que temos as melhores cenas do filme. Herson Capri, perfeito para o papel, interpreta o autor da novela narrada na rádio Nacional, ao mesmo tempo que dá corpo ao herói Anjo. Ele surge sempre para salvar a mocinha de mirabolantes armadilhas, lembrando o seriado Batman dos anos 1960, e protagonizando estilosas cenas de lutas. Para complicar mais a história, crimes misteriosos começam a acontecer na vida real e tudo indica que seja alguém imitando o famigerado Escorpião Escarlate. O roteiro é bem costurado e saboroso. Gostaria até que o Ivan Cardoso tivesse lançado "Uma aventura do Anjo 2", e quem sabe, outras sequências.

E o elenco é um show à parte. Temos nomes como Tião Macalé, Colé, o onipresente Wilson Grey, Consuelo Leandro, Ankito, Léo Jaime (dublado e fazendo o assistente do anjo, que sempre acompanhava o mesmo em suas missões, mas estranhamente desaparecia nos momentos onde havia brigas). Isso só para citar alguns. Até Roberta Close dá o ar de sua graça. E claro, que não podiam faltar as típicas e bem apreciadas cenas de nudez do cinema nacional, hoje tão criticada, que resultou agora em uma era super-careta do nosso cinema, perdendo uma de suas principais características, a sensualidade da mulher brasileira, que por sinal estavam bem representadas neste filme, com nomes como Isadora Ribeiro, Josi Campos e Suzana Matos. Quem quiser conferir, valerá a pena.
Monique Evans interpreta a vilã Madame Ming





2 comentários:

  1. Parece ser muito bom! Confesso que fiquei com vontade de ver haha.
    Acho que só falta umas estrelinhas nessas resenhas! :D

    ResponderExcluir
  2. Sempre fico indeciso na hora de avaliar filmes. E o seu blog tá dando uma surra no meu! rs

    ResponderExcluir

Postagens populares

Pesquisar neste blog